• Ricardo Stival

Falha de Diagnóstico no Plantão Médico

Independente da estrutura hospitalar e do conhecimento médico de cada profissional, não é incomum ocorrerem falhas de diagnóstico em atendimentos durante plantão médico.



Porém, diante da complexidade de cada atendimento, é necessário compreender em que situação ocorreu a interpretação de diagnóstico equivocado, isso porquê, existem circunstâncias singulares de casos que o exame clínico é soberano e independe de exames complementares - porém, há complicações pela própria condição de saúde do paciente e não falha de diagnóstico, como ocorre muito em situações de apendicite , ou ainda, casos que há a necessidade da espera dos resultados exames requeridos para a tomada de decisões mais assertivas, onde a demora do laudo do exame coloca em risco a vida do paciente e consequentemente a atividade profissional médica.


Além disso, é muito frequente com a alta demanda hospitalar e troca em plantão médico, por falha unicamente hospitalar e não médica, a demora dos resultados de exames que dificultam o fechamento do diagnóstico, principalmente em atendimentos de urgência e emergência.


Por isso, não basta em casos envolvendo complicações de pacientes por falha de diagnóstico deixar de analisar o fluxo hospitalar e todos os demais documentos e a particularidade dos atendimentos, de modo que não se cometam injustiças por acusação de responsabilidade médica equivocada, já que falha de diagnóstico propriamente dita depende de inúmeros fatores, não apenas do apontamento se houve negligência, imprudência, imperícia, nexo causal e dano, uma vez que cada atendimento se torna complexo e não cabe nenhum julgamento precipitado por qualquer parte, principalmente sem a observação de protocolos médicos e hospitalares, bem como a técnica médica utilizada.


Sendo assim, qualquer problema decorrente em plantão médico deve ser solucionado imediatamente com auxílio jurídico, principalmente em posse do prontuário médico para evitar um prejuízo ainda maior decorrente de processo cível, criminal, administrativo e ético em caráter definitivo.

Ricardo Stival é Advogado, Professor de Pós-Graduação de Direito Médico, Palestrante e Especialista em Ações Judiciais de Erro Médico e Processos Éticos no CRM e CRO, com atuação em todo o Brasil
Ricardo Stival - Advogado de Direito Médico

Advogado Sócio da Advocacia Stival        www.advocaciastival.com.br

 

Graduação em Direito pela Universidade Tuiuti do Paraná - UTP; Pós-Graduação em Direito Constitucional pela Academia Brasileira de Direito Constitucional - ABDConst; Pós-Graduação em Direito Tributário Empresarial e Processual Tributário pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR; Pós-Graduação em Direito e Processo do Trabalho pelo Centro Universitário Curitiba - Unicuritiba; Pós-Graduação em Direito Médico pelo Centro Universitário Curitiba - Unicuritiba; Capacitação em Direito à Saúde pela Escola Superior de Advocacia da OAB/PR; Advogado membro da Comissão de Saúde da OAB/PR; Fundador do Portal "Direito Médico e Saúde" - www.direitomedicoesaude.com.br; Autor de cursos e palestras na área de Direito Médico e Idealizador e Responsável pela prestação de serviço de Compliance Médico-Hospitalar.

Contato - Ricardo Stival.png